Edimilson Jr

Quando me mudei para Brasília vim morar perto da Praça da Harmonia Universal. Logo descobri, em minhas corridas matinais, um grupo de pessoas que faziam o Tai Chi antes do nascer do sol. Foi uma agradável surpresa, pois há tempos buscava, sem sucesso, praticar esta arte milenar chinesa.  Até então o que me atraía nela eram os movimentos harmoniosos e leves que eu via: “parece com os do Kung Fu, pensei, mas são mais suaves e sem pressa”. Deduzi, ainda, pela sua forma de movimentação, que sua prática deveria fazer bem não apenas ao corpo e a mente, mas também ao espírito, uma vez que seria necessária muita paciência e perseverança para buscar a essência do Tai Chi e transpor os limites daquilo que os olhos viam.

Inevitavelmente me uni ao grupo de praticantes, conheci  as pessoas, comecei a frequentar a praça e isso me motivou a continuar a pesquisa em outros lugares e cursos. Verifiquei, assim, com os anos, que minha suposição inicial estava certa, uma vez que  as possibilidades do Tai Chi são inúmeras: promove a saúde, gera mecanismo de defesa contra sentimentos nocivos, permite o convívio com pessoas que buscam essa fonte de energia que se encontra em nosso interior, a prática da meditação, a observação da natureza e a interação entre os diversos elementos naturais ....

Ainda continuo um iniciante na prática do Tai Chi e por estar desfrutando os benefícios que o caminho da prática do Tai Chi continuamente me presenteia, espero que essa praça se torne pequena para abrigar tantos praticantes quanto imagino ser possível e continue fornecendo, altruisticamente aos que buscam, saúde, tranquilidade e equilíbrio.